Ilhas do Mundo e sua Moedas

​Ilhas paradisíacas, cercadas de água azul turquesa, e que estão entre os destinos de viagem mais cobiçados no mundo, são alguns dos países cujas cédulas ostentam curiosidades bem interessantes.

As ilhas, segundo o dicionário, são “porções de terra com área não tão grande quanto um continente e cercadas de água por todos os lados”. Mas, para ser considerada ilha, é preciso que a porção de terra seja circundada por fontes de água de um mesmo tipo, como rios ou mares. Elas podem ter sido originadas pela solidificação da lava dos vulcões (ilhas vulcânicas) ou pela separação do continente (ilhas continentais), caso de grande parte das ilhas turísticas.

Confira o dinheiro utilizado em algumas delas. As peças fazem parte do acervo do Museu de Valores do BC.

Territórios Britânicos Ultramarinos
Em território, o Reino Unido foi o maior império da história até a II Guerra Mundial (1939-1945), no século XX. Depois, passou a perder parte de seu território, por conta de movimentos de independência. Ainda estão sob seu controle e soberania, no entanto, áreas adquiridas por conquistas ou anexação chamadas Territórios Britânicos Ultramarinos (British Overseas Territory). Elas possuem governo próprio, não sendo administradas diretamente pelo Reino Unido, que é encarregado de sua proteção, das relações externas e de assuntos de negócios. O governador do território é escolhido pelo monarca do Reino Unido. Entre os 14 territórios desse tipo que pertencem ao Reino Unido, a maioria são ilhas. Conheça três delas:

Ilhas Virgens Britânicas
Localizadas na América Central, a leste de Porto Rico, as BVI (sigla em inglês para British Virgin Islands) é um arquipélago formado por mais de 60 ilhas, banhado pelas águas do Caribe e do oceano Atlântico. A atividade econômica mais forte é o turismo, devido ao mar de águas calmas e grande biodiversidade. São conhecidas como “capital mundial da navegação”, por possuir a maior frota de barcos em um mesmo local e também como “capital mundial da vela”. Nas ilhas ocorreram diversos naufrágios e, diz a lenda, o pirata Barba Negra costumava atacar embarcações por ali.

https://home.intranet.bcb.gov.br/conexao/PublishingImages/0%20Nova%20Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Imagens%202016/Dinheiro%20do%20Mundo/Ilhas/IlhasVirgensBrit-R.jpghttps://home.intranet.bcb.gov.br/conexao/PublishingImages/0%20Nova%20Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Imagens%202016/Dinheiro%20do%20Mundo/Ilhas/IlhasVirgensBrit-A.jpg

A ilha principal, Tortola, abriga a capital Road Town e é por lá que os turistas chegam. Habitada pelo grupo étnico Arawak por volta do ano 400 a.C. e pelos índios do Caribe no século 14, em 1493, Cristóvão Colombo esteve por lá, nomeando o local de “Santa Úrsula e as 1000 Virgens”. Holandeses também estiveram por lá, mas foram os ingleses os responsáveis pela colonização, a partir de 1672, fazendo uso de mão de obra escrava na plantação de cana-de-açúcar, algodão e na fabricação de rum. A população da ilha é de 28 mil habitantes. O idioma oficial é o inglês. E, apesar de pertencer ao Reino Unido, a moeda local é o dólar americano. A moeda de 1 dólar, de 1973, traz em seu anverso a imagem da Rainha Elizabeth II, enquanto no reverso estão pássaros tropicais.

Bermudas
https://home.intranet.bcb.gov.br/conexao/PublishingImages/0%20Nova%20Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Imagens%202016/Dinheiro%20do%20Mundo/Ilhas/BermudasA.jpg

As Bermudas são um arquipélago formado por cerca de 170 ilhas, ilhotas e recifes que pertencem ao Reino Unido e têm como capital a cidade de Hamilton. As ilhas ocupam uma área de aproximadamente 53 km² e têm 65 mil habitantes (estimativa de 2014). Elas se localizam no oceano Atlântico, a cerca de 650 quilômetros da costa leste dos Estados Unidos. Descobertas pelo espanhol Juan de Bermúdez, que chegou ao arquipélago em 1503, quando sua embarcação naufragou na região, em 1609 elas foram ocupadas por britânicos, também após um naufrágio. Por sua posição estratégica, as Bermudas serviram como base para instalações militares navais e aéreas americanas e inglesas em vários períodos de guerra. A constituição de 1968 deu autonomia ao arquipélago para tomar decisões em assuntos internos, mas o manteve subordinado à coroa britânica no que diz respeito à defesa e às políticas externas.

https://home.intranet.bcb.gov.br/conexao/PublishingImages/0%20Nova%20Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Imagens%202016/Dinheiro%20do%20Mundo/Ilhas/BermudasR.jpg

Apenas cerca de vinte ilhas das Bermudas são habitadas. E aproximadamente 60% da população é descendente de africanos escravizados. A escravidão durou entre os séculos XVII e XIX, sendo abolida em 1834. Sua população é também formada por britânicos e portugueses vindo das ilhas da Madeira e dos Açores, o que fez do inglês a língua oficial e do português a língua não-oficial.

O anverso da cédula de 50 dólares bermudenses traz um pássaro tropical de cauda longa, enquanto no reverso está a igreja de São Pedro, localizada na cidade de São Jorge. Acredita-se que essa seja a mais antiga igreja anglicana em funcionamento contínuo no hemisfério ocidental.

Ilhas Malvinas (Falkland)
https://home.intranet.bcb.gov.br/conexao/PublishingImages/0%20Nova%20Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Imagens%202016/Dinheiro%20do%20Mundo/Ilhas/MalvinasA.jpg

As Malvinas – ou Falklands, em inglês – são um arquipélago de cerca de 200 ilhas localizadas na América do Sul, a menos de 500 km a sudeste da Argentina, com uma área de 12.175 km² e com uma população de aproximadamente três mil habitantes. Elas possuem certo grau de autonomia, mesmo sendo administradas pelo Reino Unido. O território é conhecido pelas disputas entre Inglaterra e Argentina.

As Malvinas são formadas por duas ilhas principais, Falkland Ocidental e Falkland Oriental, e têm como capital o município de Stanley, a única cidade de lá. A moeda corrente é a Libra Malvinense, muito semelhante à Libra Esterlina inglesa.

https://home.intranet.bcb.gov.br/conexao/PublishingImages/0%20Nova%20Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Imagens%202016/Dinheiro%20do%20Mundo/Ilhas/MalvinasR.jpg

No ano de 1982, o governo argentino, comandado pelo ditador Leopoldo Galtieri, invadiu as ilhas Malvinas e alegou que elas pertenciam ao país sul-americano. Isso deu início a uma guerra que durou 74 dias e terminou com a vitória britânica, deixando 648 argentinos e 255 britânicos mortos. No entanto, o governo argentino nunca reconheceu totalmente a legitimidade da ocupação inglesa nas Malvinas. Em 2013, quase todos os habitantes se manifestaram em um referendo a favor de continuar sob a soberania britânica. Contudo, o governo argentino afirmou que o referendo foi ilegal, sob a argumentação de que se trata de uma popularidade falsa, haja vista que a maior parte da população é de descendência inglesa em função de os argentinos terem sido expulsos do arquipélago durante o século XIX.

A cédula 1 libra malvinense, de 1938, traz em seu anverso a efígie do Rei George VI, que reinou entre 1936 e 1952 e é o pai da Rainha Elizabeth II.

Território independente do Reino Unido

Ilhas Salomão
Situado no oceano Pacífico na região denominada Melanésia, esse país da Oceania formado por centenas de ilhas de origem vulcânica não possui fronteiras terrestres, estando relativamente próximo a Papua Nova Guiné e a Vanuatu. A sua localização é sobre o chamado Anel de Fogo do Pacífico, uma área de grande atividade sísmica e vulcânica e que é sacudida por aproximadamente 7 mil tremores por ano, a maioria deles de intensidade moderada. Sua capital nacional é a cidade de Honiara e a população é de cerca de 535 mil habitantes, dentre os quais, a maioria reside em áreas rurais. A língua oficial é inglês, mas existem ali cerca de 80 dialetos.

O país foi colônia britânica entre 1893 e 1978, quando conquistou sua independência. Alguns dos mais violentos combates na II Guerra Mundial ocorreram em suas ilhas. O mar ali é repleto de navios e aviões bombardeados, que estão submersos e são habitados por peixes e corais.

https://home.intranet.bcb.gov.br/conexao/PublishingImages/0%20Nova%20Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Imagens%202016/Dinheiro%20do%20Mundo/Ilhas/IlhasSalomaoR.jpghttps://home.intranet.bcb.gov.br/conexao/PublishingImages/0%20Nova%20Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Imagens%202016/Dinheiro%20do%20Mundo/Ilhas/IlhasSalomaoA.jpg

Nas ilhas, cerca de 10% da população de pele negra tem cabelo naturalmente loiro. O mistério foi desvendado por um pesquisador da Universidade de Stanford, nos EUA, que identificou uma região do gene responsável pela variação da cor do cabelo, chamado TYRP1, conhecido por influenciar a pigmentação nos humanos. A variante encontrada nos cabelos loiros dos habitantes das Ilhas Salomão não é encontrada no genoma dos europeus, o que elimina a hipótese de a cor dos cabelos vir de uma mistura com europeus.

A moeda de 1 centavo de dólar das Ilhas Salomão, de 1977, é feita de bronze e traz a Rainha Elizabeth II no seu anverso.

Independentes do Reino Unido

Ilhas Maldivas
Cerca de 1,2 mil ilhas formam a República das Maldivas, no Oceano Índico, das quais 203 são habitadas. Com 298 km² de extensão – aproximadamente do tamanho da Cidade de Campos do Jordão (SP) – e cerca de 415 mil habitantes, as Maldivas estão próximas da Índia (a 450km de distância, a sudoeste).

https://home.intranet.bcb.gov.br/conexao/PublishingImages/0%20Nova%20Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Imagens%202016/Dinheiro%20do%20Mundo/Ilhas/MaldivasA.jpghttps://home.intranet.bcb.gov.br/conexao/PublishingImages/0%20Nova%20Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Imagens%202016/Dinheiro%20do%20Mundo/Ilhas/MaldivasR.jpg

Ao longo dos séculos, as ilhas foram visitadas e influenciadas por marinheiros dos países do mar Arábico e do litoral do oceano Índico. No século XVI, foram colônia portuguesa, no seguinte, foram conquistadas por holandeses e, no século XIX, tornaram-se um protetorado da Grã-Bretanha, de 1887 a 1965. As Maldivas permaneceram como um sultanato islâmico independente na maior parte de sua história (1153-1968), alcançando a independência em 1965. Após a independência da Grã-Bretanha, o sultanato continuou a operar por mais três anos. Foi então substituído por uma república, em 1968, assumindo seu nome atual. Atualmente, integra a Comunidade Britânica (Commonwealth of Nations), associação formada pelo Reino Unido e suas antigas colônias.

De religião predominantemente islâmica, o arquipélago tem alto índice de IDH. A língua oficial é maldivense, mas o inglês é muito falado devido ao turismo, atividade fundamental na economia local. Dona de cenários paradisíacos, as Maldivas têm como moeda nacional a rúpia maldívia. A moeda de prata de 20 rúpias maldívias é de 1977 e foi emitida em homenagem à FAO (The Food and Agriculture Organization), agência da ONU criada em 1945, cujo objetivo é combater a fome mundial. Além dela, as moedas comemorativas de 5 rúpias também foram emitidas com os temas centrais da Agência. No anverso está o emblema das Maldivas, uma palmeira e uma estrela islâmica e uma lua crescente entre duas bandeiras maldívias. No reverso da moeda, um tipo de atum, comumente descrito na região como “peixe bonito”, pescado e consumido nas Maldivas, com escritos em inglês e em maldívio da frase “mais comida para a humanidade”.

Ilhas Maurício
Também conhecida como Maurício, Maurícia, Ilhas Maurícia, República da Maurícia ou República de Maurício, as Ilhas Maurício situam-se no continente africano, no Oceano Índico, 800 km a leste de Madagascar. Formam o arquipélago das Mascarenhas com as ilhas Reunião e Rodrigues. Maurício tem 2040 km² de extensão, não possui fronteiras com nenhum país, possui cerca de 1,3 milhão de habitantes e apresenta alto índice de IDH humano.

https://home.intranet.bcb.gov.br/conexao/PublishingImages/0%20Nova%20Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Imagens%202016/Dinheiro%20do%20Mundo/Ilhas/MauricioA.jpg

As Ilhas foram descobertas por portugueses em 1505, primeiramente colonizadas pelos holandeses em 1598, e por isso ganharam o nome de Maurício, em homenagem a Maurício de Nassau, administrador das colônias holandesas. Em 1715 houve a colonização francesa, que trouxe escravos para a exploração dos canaviais e, em 1810, o Reino Unido tomou a ilha, substituindo a mão de obra por indianos. As ilhas são independentes desde 1968, quando passaram a fazer parte da Comunidade Britânica (Commonwealth of Nations), que hoje conta com 52 membros. As diversas colonizações e os fluxos migratórios explicam a diversidade de línguas faladas no local: além da oficial, inglês, fala-se francês, português, hindi, crioulo e chinês.

https://home.intranet.bcb.gov.br/conexao/PublishingImages/0%20Nova%20Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Imagens%202016/Dinheiro%20do%20Mundo/Ilhas/MauricioR.jpg

A moeda local é a rúpia mauriciana e a cédula de 25 rúpias mauricianas traz em seu anverso Moilin Jean Ah-Chuen, influente político da República de Maurício, com imagem também do prédio do Banco de Maurício. No reverso, um pescador típico.

 Ilhas Seychelles
Menor país da África, a República de Seychelles pertence a um arquipélago de 115 ilhas espalhadas por uma área de 455 km² no Oceano Índico, próximo de Madagascar e das Ilhas Maurício. A capital, Vitória, fica na Ilha Mahé. O arquipélago foi avistado por Vasco da Gama em 1502, e a França reivindicou o território em 1756. Os franceses das ilhas Maurício foram os primeiros colonizadores das Seychelles. Em 1814, o tratado de Paris deu ao Reino Unido o direito de administrar as ilhas Seychelles e Maurício. Em 1976, ela se tornou independente, sofrendo um golpe de estado no ano seguinte, com um único partido. Em 1991, Seychelles voltou à democracia com o multipartidarismo. Ela também faz parte da Comunidade Britânica (Commonwealth of Nations).

https://home.intranet.bcb.gov.br/conexao/PublishingImages/0%20Nova%20Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Imagens%202016/Dinheiro%20do%20Mundo/Ilhas/SeychellesR.jpghttps://home.intranet.bcb.gov.br/conexao/PublishingImages/0%20Nova%20Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Imagens%202016/Dinheiro%20do%20Mundo/Ilhas/SeychellesA.jpg

O país, cuja população é de aproximadamente 95 mil habitantes, tem o inglês e o francês como línguas oficiais, além do creole seychellois. Desde sua independência, o governo buscou desenvolver a língua creole local, com ortografia e gramática própria. O turismo é uma importante atividade econômica e o IDH é alto. Sua moeda é a rúpia seichelense.

A moeda de 5 centavos, de 1972, traz a efígie da Rainha Elizabeth II no anverso e, no reverso, a imagem de uma flor. Esta moeda, assim como a das Maldivas, faz parte das moedas comemorativas da FAO (The Food and Agriculture Organization), da ONU, emitidas para conscientizar o mundo sobre a urgente necessidade de aumentar a produção agrícola e de alimentos. Desde 1968, centenas de moedas diferentes foram emitidas pelo mundo para espalhar a mensagem, além de criar um tipo único de moedas mundiais para colecionadores. As moedas também servem de lembrete sobre a dignidade humana básica e sobre o fortalecimento do poder da cooperação internacional em assuntos importantes como a inseguridade alimentícia.

Outras ilhas

Ilha de Cocos (Keeling)

As ilhas Cocos ou ilhas Keeling são um pequeno arquipélago formado por 27 ilhas, dentre as quais apenas duas são habitadas: Home Island e a capital West Island, que possui aproximadamente 700 habitantes e 14 km² de área. Situadas na costa leste, em pleno Oceano Índico, perto da Indonésia, elas pertencem à Austrália apesar de estarem a uma distância de 2750 km de Perth.

https://home.intranet.bcb.gov.br/conexao/PublishingImages/0%20Nova%20Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Imagens%202016/Dinheiro%20do%20Mundo/Ilhas/CocoA.jpg

Em 1827, o marinheiro escocês John Clunies-Ross fundou uma colônia de habitantes malaios. Em 1831, as ilhas tornaram-se propriedade da família Clunies-Ross. Em 1857, o território foi formalmente anexado pelo Reino Unido, tornando-se uma colônia. Entre 1878 e 1886 e entre 1942 e 1946, fez parte de Ceilão e dos Estabelecimentos dos Estreitos entre 1886 e 1942. Entre 1946 e 1951, foi agregada a Singapura. A partir de 1955, o governo australiano assumiu o controle do arquipélago, comprando quase todas as propriedades dos Clunies-Ross em 1978. A administração local ganhou maior autonomia com a criação, em 1979, do Conselho das Ilhas Cocos. Após um plebiscito que aprovou a integração do arquipélago à Austrália, em 1984, a população recebeu cidadania australiana plena. Em 1993, a família Clunies-Ross perdeu as últimas posses para o governo australiano.

https://home.intranet.bcb.gov.br/conexao/PublishingImages/0%20Nova%20Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Imagens%202016/Dinheiro%20do%20Mundo/Ilhas/CocoR.jpg

Atualmente, a moeda local são dólares australianos, mas de 1826 a 1875 havia duas moedas em circulação: rúpias indianas e rúpias do Ceilão. Depois, os Clunies-Ross introduziram uma moeda própria para pagar seus trabalhadores, as rúpias Cocos. Essa moeda só valia na mercearia da família Clunies-Ross.

Unidades monetárias privadas foram emitidas pela primeira vez em 1879, em pele de carneiro assinada pelo rei George Clunies-Ross VI (ou Ross III). Havia 100 centavos para cada rúpia e seis denominações em circulação: 5, 3, 2, 1, ½, e ¼ Rúpias. Em 1913, Ross IV decidiu substituir o dinheiro em papel por 7 fichas de marfim ou de ossos, que continham o brasão da família. John Cecil Clunies-Ross (Ross V) produziu 10 fichas de plástico, em 1968, aparentemente para uso de contabilidade interna. Desde então, diversas moedas comemorativas foram produzidas. O exemplar contido no acervo do Museu de Valores é a moeda de plástico de 2 rúpias Coco, de 1968. No anverso, paisagem de mar e coqueiro. No reverso, o valor 2R dentro de um sol estilizado.

Ilha Comores
A União das Comores está localizada na África oriental, entre Moçambique e Madagascar e é composta de três principais ilhas, Ngazidja (ou Grande Comore), onde está a capital Moroni, Mohéli e Anjouan, além de outras pequenas ilhas. O país reivindica ainda a soberania sobre Mayotte, cuja população, em referendo realizado em 1975, resolveu permanecer como colônia da França.

https://home.intranet.bcb.gov.br/conexao/PublishingImages/0%20Nova%20Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Imagens%202016/Dinheiro%20do%20Mundo/Ilhas/ComoresA.jpghttps://home.intranet.bcb.gov.br/conexao/PublishingImages/0%20Nova%20Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Imagens%202016/Dinheiro%20do%20Mundo/Ilhas/ComoresR.jpg

As primeiras civilizações a explorarem o arquipélago foram os persas e os árabes. Mas as ilhas começaram a ser habitadas por volta dos séculos V e VI d.C., por povos vindos da África, de Madagascar e das Arábias. Segundo relatos, os primeiros europeus que chegaram à região foram os portugueses, no século XVI, no mesmo século em que as ilhas apareceram no mapa mundi. Até o século XIX, a maioria dos estrangeiros era árabe. Foi em 1843 que a França oficializou a posse de Mayotte e, em 1886, as outras três ilhas também ficaram sob sua proteção. No ano de 1961, o arquipélago ganhou autonomia interna e, em 1974, a maior parte dos habitantes votou pela independência da região, exceto Mayotte, que continua sob comando francês. A independência das ilhas veio no ano seguinte. Desde então, inúmeros golpes de Estado já ocorreram. Cerca de metade da população vive abaixo da linha de pobreza.

Comores possui uma área total de 1862 km², equivalente a um terço da área do Distrito Federal, e uma população de 825 mil habitantes, a maioria de religião islâmica. Os idiomas oficiais são comorense, árabe e francês e a moeda local é o franco comorense. A moeda de 100 francos comorenses, de 1977, feita de níquel, também faz parte das moedas comemorativas da FAO. Há no anverso lua e estrelas, além do valor da moeda. No reverso, o tema navio e peixe.

Curaçao
https://home.intranet.bcb.gov.br/conexao/PublishingImages/0%20Nova%20Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Imagens%202016/Dinheiro%20do%20Mundo/Ilhas/CuracaoA.jpg

Curaçao é a maior ilha das antigas Antilhas Holandesas, hoje extintas, situada no Mar do Caribe, a 70 km da costa norte da Venezuela. Atualmente, ela é um país autônomo ligado ao Reino dos Países Baixos (constituído por Holanda, na Europa, Aruba, Curaçao e San Marteen no Caribe), e possui uma população de cerca de 150 mil habitantes.

Terra natal de tribos caiquetios, pertencentes à família Arawak, em 1499 houve a chegada dos primeiros exploradores europeus, os espanhóis, cujo domínio se manteve por todo o século XVI. Em 1634, uma expedição da Companhia Neerlandesa das Índias Ocidentais, comandada por Johan van Walbeeck, reclamou a ilha para os Países Baixos. Em outubro de 2010, as Antilhas Holandesas, ex-colônia da Holanda, dividiram-se em dois países autônomos: Curaçao e San Marteen. Os dois novos países se juntaram a Aruba que, em 1986, ganhou status de Estado individual, enquanto três outras ilhas, Bonaire, Santo Eustáquio e Saba, tornaram-se municipalidades dos Países Baixos, com a dissolução das Antilhas Holandesas após 56 anos de existência.

https://home.intranet.bcb.gov.br/conexao/PublishingImages/0%20Nova%20Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Imagens%202016/Dinheiro%20do%20Mundo/Ilhas/CuracaoR.jpg

A arquitetura local se assemelha à encontrada na Holanda, mas as cores das casas são bem coloridas, uma característica marcante da capital Willemstad. Na ilha, as línguas faladas são holandês, inglês, espanhol e papiamento, uma mistura de sete línguas: holandês, espanhol, inglês, castellano, francês, criolo e português. A moeda oficial é o florim das Antilhas holandesas, mas o dólar americano é amplamente aceito. No anverso da cédula de 2,5 Florins, de 1970, está um avião da Companhia ALM Dutch Antillean Airlines, a principal companhia aérea das Antilhas Holandesas, que operou entre 1964 e 2001, em Aruba, Bonaire e Curaçao, onde ficava sua matriz.

As informações contidas no texto foram retiradas de sites como Info escola, Export Help, Uol, O Globo, G1, Brasil Escola, A Gazeta do Povo, Paper Money Guarantee, Coinweek, Zero Hora, entre outros.

Assuntos Semelhantes

No Comments Yet.

Leave a reply

You must be logged in to post a comment.