As Semelhanças do Crash de 1929 com 2014

The Scary Parallel

Desde o ano de 2012 o mundo vem se arrastando, tentando se recuperar da crise mundial, que abalou os mercados e economias em todo o globo. No Brasil tem-se identificado diversos indícios de estagnação, com letargia que não se sabe certamente a origem ou os motivos. Diversos rumores se escutam sobre uma bolha imobiliária no Brasil, outras tantas são as especulações mundo afora que não nos dão um panorama favorável para o ano de 2014.

Então, eis que analistas financeiros americanos apresentam um gráfico, comparando a evolução do mercado financeiro às vesperas da quebra da bolsa americana de 1929 e o atual cenário financeiro, evidenciando uma incômoda coincidência que insinua previsões apocalípticas. A esse gráfico denominaram Scary Parallel, ou seja, Paralelo Assustador, em artigo escrito por Mark Hulbert para a MarketWatch. O gráfico abaixo mostra o caminho do DowJones em 1929 (preto) e em 2014 (vermelho). A justificativa para mostrar o gráfico em um artigo de 11 de fevereiro da MarkeWatch foi a coincidência preocupante entre os dois períodos, como citou o autor:

Há paralelos misteriosos entre o comportamento recente do mercado de ações e como ele se comportou bem diante da crise de 1929. Isso pelo menos é a conclusão a que chegou uma carta assustadora que tem vindo a fazer as rondas em Wall Street. O gráfico sobrepõe recente desempenho do mercado em cima de uma parcela de seus giros em 1928 e 1929. O retrato não é bonito. 

Os defensores do paralelo entre 1929 vs 2014 sustentam que o gráfico traz uma riqueza de experiências anteriores para a mesa, garantindo, pelo menos, o benefício da dúvida.

O medo pode ser domado com planejamento de contingência

Como fica a vida financeira nesse cenário? Na visão do citado autor: “O Medo de Investimento pode ser domado uma vez que você desenvolver um plano de jogo para os piores cenários . Por isso, vamos supor que um quadro semelhante à 1929 está chegando, em algum momento no futuro, não muito distante. Se concretizada a previsão, nós experimentaremos um dos piores casos do mercado de ações da história. A suposição não significa que nós acreditamos que um acidente é iminente, estamos simplesmente dizendo que nunca é demais estar preparado.”

 Para explicar sua conclusão, o autor cita que padrões gráficos são baseados em reações dos seres humanos a uma mudança em dados fundamentais. Um padrão chamado Head-and- Shoulders é um exemplo de como os investidores mudam de um viés de alta para um viés de baixa. No gráfico abaixo, um alerta prévio sobre 1929, de como o Dow-Jones formou uma cobertura padrão Head-and- Shoulders antes do crash de 1929 ( ver LS , H e RS ). A partir de uma perspectiva de gerenciamento de risco, a quebra do gargalo foi significativa.

Onde está o gargalo em 2014?

Se a analogia entre o caminho de ações em 1929 e 2014, mantém a linha de pensamento em coerência, seria de se esperar ver um padrão Head-and- Shoulders em 2014. Considerando o índice da S&P500 que é o mais amplamente seguido, deve-se basear o cenário hipotético sobre o índice de ações mais amplo. Pode-se encontrar um padrão Head-and- Shoulders no gráfico atual do S&P500. Se o caminho de colisão 1929 se repete em 2014, seria de esperar para ver uma quebra do limite do gargalo, seguido de uma queda acentuada nos preços das ações .

Conclusão

Apesar de se tratar apenas de análises, podemos estar diante de nova e conturbada fase financeira, sem saber quais os impactos e alcance dessa onda.

Assim, como se diz em Minas, cautela e canja de galinha não faz mal a ninguém. Apertamos o cinto e observemos as reações a partir de meados de fevereiro. Sorte a todos.

 

Assuntos Semelhantes

No Comments Yet.

Leave a reply

You must be logged in to post a comment.